sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Igreja de Santa Maria Antiqua no Foro Romano

A palavra de ordem para iniciara falar da igreja de Santa Maria Antiqua no Foro Romano é “palimpsesto”, mais precisamente no sentido que a história da arte e arqueologia italiana atribuem a este conceito. Um palimpsesto é um pergaminho que foi cancelado para que se pudesse escrever um novo testo, mas que possui resquícios das inscrições anteriores; seja por que as novas linhas foram escritas nas entrelinhas do primeiro, seja por que foram escritas na perpendicular do antigo texto (hoje em dia identificáveis com o raios ultravioletas). 
O conceito importante aqui são as diversas camadas que este documento possui, de períodos que se sucederam, e portanto com formas e significados diferentes.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Breve cronologia da construção da Santa Maria Antiqua

A igreja de Santa Maria Antiqua no Foro Romano foi construída na metade do VI século aos pés do Palatino, perto da Casa das Vestais. A importância da descoberta desta igreja consiste na compreensão da urbanização do Foro Romano nos primórdios da Idade Média; seu funcionamento foi abruptamente interrompido no IX século por um terremoto, que a tornou impenetrável. É igualmente de fundamental importância para a História da Arte saber que tipo de programas iconográficos adornavam as suas paredes.


Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Esta igreja ficou “enterrada” por mil anos, até que Giacomo Boni, o grande arqueólogo que escavou boa parte do Foro Romano, encontrou-a em 1900.
Nos 300 anos em que a igreja funcionou suas paredes eram inteiramente decoradas; hoje temos 250m² de afrescos de diferentes períodos, resquícios de opus sectile do final do período imperial e um famoso palimpsesto na parede da ábside com SETE camadas que fazem com que ela seja a pérola das igrejas paleocristãs; sobretudo se pensarmos no período da iconoclastia do império bizantino.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

As várias camadas de afrescos que podem ser vistas hoje

Podemos ver hoje afrescos do período de papa Martino I (649-653), Giovanni VII (705-707), papa Zaccaria (741-752), Paolo I (757-767). O oratório tinha uma decoração parietal de mosaicos, realizada pelo papa Giovanni VII, com estórias do Novo Testamento, com imagens da infância, milagres e da Paixão de Cristo e uma grande imagem de Maria “Regina” (Rainha) e o próprio papa Giovanni VII.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Interessante também os sarcófagos onde vemos algumas figuras de primeiras imagens cristãs, o espaço montado com objetos encontrados aqui, e até a reconstrução de um lustre antigo para podermos imaginar como era feita a ilumação do ambiente!

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

As minhas professoras de História da Arte estão frenéticas com a abertura desta igreja, pois a estudaram nos livros, fizeram prova na faculdade sem nunca terem visto ao vivo os famosos afrescos!

Excursão aconselhada para quem já viu Coliseu, Foro e Palatino e é apaixonado por História da Arte e Arte Medieval.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Garanta a sua viagem na Itália com guia em português particular da mais alta qualidade; não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.

Fontes:
Aulas com a Dtssa. Simona Lupinacci
Enciclopédia Treccani
Santa Maria Antiqua tra Roma e Bisanzio”, Andaloro M., 2016
I sarcofagi del paradiso”, Bisconti F., 2004
Site da Superintendência dos Bens Culturais de Roma: http://archeoroma.beniculturali.it/santa-maria-antiqua/?q=node/4

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Nenhum comentário:

Postar um comentário