domingo, 9 de fevereiro de 2014

Vidrados no cavalinho - Enzo Ferrari, uma paixão toda italiana.

« Queria ter sido um grande piloto e não fui. »
Enzo Ferrari, entrevistado por Enzo Biagi
post dedicado à caríssima família fiorentino-senese de Nicola e Maria Vittoria Vincenti, habituados a vencer e repartir
TARIFAS DOS MUSEUS REVISADAS EM 24.08.2017

O cavalinho empinado Ferrari, Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

Atendendo a pedidos... um post sobre a mítica Ferrari!

Um pouco de biografia de Enzo Ferrari

Enzo Ferrari, apelidado carinhosamente como o "Drake" (o "Monstro", em sentido positivo, obviamente) foi um personagem incrível do século XX italiano, conhecido por ser corajoso e audaz, mas sobretudo infinitamente inteligente: ele foi o fundador do mito de Maranello e enfrentou muitas dificuldades durante a sua vida, sem nunca titubear em encontrar a melhor solução para um problema.  

F 2007, Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

A sua longa vida será descrita por ele mesmo como sendo cheia de "alegrias terríveis". Vamos olhar de perto essa saga e aprender muitas coisas sobre a potência do ser humano: Ferrari nasceu em Modena, dia 18 de Fevereiro de 1898 e morreu dia 14 de Agosto de 1988, com noventa anos. Em 1923 ele se casou com Laura Garello, casamento infelizmente difícil, piorado com o nascimento do filho Dino, em 1932.  

Dino sofria de uma doença genética que se chama distrofia muscular e esta dor marcou profundamente a vida pessoal e profissional de Enzo: "Eu me iludi que a nossa medicina poderia curar meu filho - por que um pai se ilude sempre. Estava convencido que ele fosse como um dos meus carros, um dos motores. Tinha feito uma tabela de todos os alimentos que Dino tinha que comer e que não teriam agredido os seus rins, mantinha com precisão um diagrama das albuminas, do peso específico da urina, da taxa azotêmica do seu sangue, da sua diurese, etc, para controlar a doença. 

A realidade era muito triste e dura: meu filho se enfraquecia constantemente em consequência da distrofia muscular progressiva, se apagava aos poucos por causa desta terrível doença cuja cura ninguém conhece. Até que um dia, na agenda onde controlava os valores da sua saúde, escrevi: perdi o jogo."

Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

Este longo e lento percurso que levou seu filho à morte foi duríssimo, pois até então, seu filho tinha uma vida quase normal, aliás, era um verdadeiro prodígio, digno do seu pai genial. Foi Dino quem convenceu Enzo a investir nos pequenos motores de 6 cilindros em "V". Este tipo de motor desenvolvido pelo filho de Enzo se demonstrou imbatível e determinou o futuro dos motores nas pistas do mundo inteiro. 

A Federação Internacional de Automobilismo determinou que a partir de 1967 a cilindrada dos motores para a F2 teria que ser de somente 1500cc, 6 cilindros, derivado de um carro GT. Neste momento a Ferrari decidiu lançar um protótipo para competição para a realização de um carro de série com motor F2. E assim nasceu a estraordinária Dino 166S, o primeiro carro a adornar o esta marca, que até então tinha desenvolvido apenas motores.

 
A Ferrari Dino 246, foto de John Nuttall 

A 166 voa e Lodovico Scarfiotti ganha o Campeonato Europeu de Montanha. Para conseguir a produção de 500 unidades e obter a homologação na categoria GT, a Ferrari consegue um contrato com a FIAT:  a Ferrari forneceria o projeto do motor e o colosso de Turim construiria o quanto antes os 500 exemplares necessários. A Dino foi lançada como marca autônoma da galáxia Ferrari no Salão do Automóvel de Turim de 1966  com o lançamento da hoje famosíssima 206 GT.

Dino representava já muito jovem a Ferrari do futuro, intuição genial e ideias fresquíssimas que seu pai tinha dificuldade em acreditar virem de um garoto tão jovem. O orgulho de um pai não poderia sonhar mais do que isso! Perder este filho tão precioso foi um fato devastador na vida de Enzo.

F 50, Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

Mais história do Motor - Time - Casa Automobilística Ferrari

A marca com o cavalinho foi um resultado da amizade de Enzo com o conde Enrico Baracca, pai do herói da aviação da Iª Guerra Mundial Francesco Baracca, que abateu 34 aviões inimigos. A condessa Barraca, mãe de Francesco disse: "Ferrari, coloque o cavalinho empinado do meu filho nos teus carros. Vai te trazer sorte." A sugestão foi imediatamente aceitada por Enzo, que transformou o cavalinho em um símbolo da astúcia italiana, mundialmente conhecido, primeiro, como símbolo do time de carros de corrida e posteriormente como brasão da nova fábrica automobilística Ferrari.

Ferrari 250 GT, Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

A sua primeira competição como construtor e piloto foi em 1919 em Parma Bercetto, onde se classificou em 4º lugar na categoria 3000 e 11º no total. Enzo venceu 9 competições em 39 disputas, um resultado muito bom, sobretudo o fato de tê-las sobrevivido em uma época como aquela. Enzo abandonou a atividade de piloto quando nasceu seu primeiro filho, Dino.

A trajetória de Enzo piloto, Enzo Team Manager ao Enzo construtor foi muito rápida. Em 16 de Novembro de 1929, Enzo funda em Modena a sociedade desportiva "Scuderia Ferrari", que tinha como objetivo levar às corridas os próprios sócios, que corriam com carros Alfa Romeo. Naquele tempo o dinheiro não era o único requisito para partecipar das corridas: a organização era complicadíssima, pois era difícil ter e encher os melhores pneus, encontrar o melhor carburante, e todos os outros detalhes que envolvem os carros de corrida. Assim sendo, fazer parte do "time Ferrari" significava ter à disposição um time super-organizado e eficiente, que dava ao piloto grandes possibilidades de vencer. 

Lancia Ferrari, Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

Em 1938 Enzo se desentendeu com a direção Alfa Romeo, que queria entrar nas competições com seu próprio nome, e não ser mais representada pelo time "Ferrari". Enzo foi despedido em '39 e segundo os termos do contrato assinado, ele ficava proibido de participar do mundo automobilístico por quatro anos. Sendo assim, Enzo arregaçou as mangas e fundou a Auto Avio Costruzioni e as suas primeiras comissões foram para realizar componentes para aviões. Somente em 1947 os automóveis voltariam a ser a sua atividade principal.

O primeiro carro construído foi o a 815 (oito cilindros, 1,5l de deslocamento), projetado por Alberto Massimino. O segundo foi a Ferrari 125 S e de cada modelo tinha somente dois exemplares. Franco Cortese foi o primeiro piloto de teste e de competição da Ferrari.
Em 1957 a Auto Avio Costruzioni mudou o nome para Auto Costruzioni Ferrari para virar em 1960 a empresa SEFAC (por extenso, Società Esercizio Fabbriche Automobile e Corse S.p.A.) e Ferrari S.p.A., em 1965.

Em 1969 a Ferrari S.p.A. virou parte do grupo FIAT. Com a morte de Enzo Ferrari em 1988, a FIAT ficou com 90% das ações e Piero Lardi Ferrari, seu segundo filho, com 10%, além de obter a presidência da empresa.

Em 2006, 5% das ações foram compradas por uma empresa financeira dos Emirados Árabes, que construiu o Ferrari World em Abu Dhabi. Em 2010 a Ferrari recuperou estes 5%. 
Em 2012 o cavalinho empinado inaugurou seu primeiro museu fora das fronteiras italianas, em Shangai.

F 2007, Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

A Ferrari é hoje o único time no mundo que partecipou a todas as edições do Campeonato de F1 e sobretudo é o time com o maior número de sucessos: 15 títulos de Campeão do mundo de pilotos (em 1952, 1953, 1956, 1958, 1961, 1964, 1975, 1977, 1979, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, e em 2007), o récorde de 16 títolos na categoria de Construtores (1961, 1964, 1975, 1976, 1977, 1979, 1982, 1983, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2007, e em 2008), e o récorde de 221 vitórias em um Grande Prêmio (até Junho de 2013).

F 2007, Museu Ferrari, foto de Janex&Alba

- Ferrrari Store Roma
Via Tomacelli, 147
Horário: de segunda à sábado, das 10h às 20h.

Reconhecimentos obtidos por Enzo Ferrari ao longo da sua carreira e póstumos:
1924: título de Cavaleiro
1927: titulo di Comendador
1960: Laurea honoris causa em Engenharia Mecânica (Universidade de Bolonha)
1962: Prêmio Hammarskjöld (prêmio concedido pela ONU nas Ciências Sociais)
1965: Prêmio Columbus (Instituto Internacional das Comunicações)
1987: Prêmio Alcide De Gasperi
1988: Laurea honoris causa in Física (Universidade de Modena e Reggio Emilia)
1994: International Motorsports Hall of Fame
2000: Automotive Hall of Fame

Museu Ferrari di Maranello, site oficial: http://museo.ferrari.com/

Horários do Museu Ferrari e tickets:
A partir de 11 de Março o museu estará aberto todos os dias, com exceção de Natal e Reveillón, nos seguintes horários:
- de 1º de Outubro a 30 de Abril: das 9.30 às 18.00
- de 1º de Maio a 30 de Setembro: das 9.30 às 19.00
Tickets 2012:
INTEIRO € 16,00
MEIO A) € 14,00 (estudantes e e maiores de 65 anos)
MEIO B) € 5,00 (6 – 19 anos acompanhadospor familiares)
GRATUITO pessoas com necessidades especiais; crianças até 5 anos

TICKET ÚNICO PARA MUSEU MARANELLO E CASA ENZO DE MODENA:
INTEIRO € 26,00
MEIO A) € 22,00 (menores de 26 e maiores de 65 anos; instituições com convenções)
MEIO B) € 10,00 (crianças 6 – 10 anos; acompanhantes de pessoas com necessidades especiais; militares; tickets família)
GRATUITO pessoas com necessidades especiais; crianças até 5 anos
É possível fazer um test-driver Ferrari? Com um brasileiro super-simpático, o Kleber!

De brasileiros para brasileiros na Itália: reserve aqui a sua guia de turismo que fala português.

Para reservar, escreva um email para scuderiamoromilano@live.com. Com o voucher para descontos de leitores do blog, com certeza vai ter um atendimento ainda mais especial pela super-escuderia ítalo-brasileira!


Voucher para descontos no test-drive Ferrari de Milão!


Nenhum comentário:

Postar um comentário