terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A antiga Basílica de São Pedro (chamada Basílica Constantiniana)



Para compreender Roma são necesessários anos de estudo de arte, arquitetura e arqueologia e outros tantos anos para aprofundar este conhecimento e escrever artigos como este. Escolha uma guia profissional pois ela fará uma grande diferença na sua estadia.

A antiga Basílica de São Pedro (chamada Basílica Constantiniana)

Vou contar sobre a chamada Basilica Constantiniana do século IV, àquela que não pudemos ver, pois foi literalmente colocada abaixo para dar lugar à de hoje

Sao Pedro por (provavelmente) Arnolfo de Cambio, escultor e arquiteto do séec XIII
S. Pedro, escultura em bronze de Arnolfo de Cambio
"Quo Vadis?"
dedicato à Tati e à Ana
Estamos no século IV d.C. sob o Imperador Constantino. Neste momento Roma conta com 27 bibliotecas públicas, 12 termas (com capacidade total para 60.000 pessoas), 856 banheiros privados a pagamento, 5 naumachias (circo que encena uma batalha naval), 11 grande Fórums, 10 basílicas importantes, 3 teatros grandes, 36 arcos triunfais, 1352 fontes e 8 pontes, entre outras maravilhas.

Desenho da antiga basílica de Constantino
Desenho da Basilica Constantiniana por H.W.Brewer Wikimedia Commons

Momento histórico em que foi realizada a primeira basílica de São Pedro, ou Basílica Constantiniana

O Imperador Constantino acorda naquela manhã do ano 313, coloca a sua túnica imperial, toma seu café-da-manhã, e por uma razão ou por outra (o crescente número de adeptos desta nova religião no interior do seu exército? as desordens causadas pelos cristãos em várias partes do Império? ), decide dar a liberdade de culto aos cristãos, assinando o famoso “Edito de Milão”.



Cortile della Pigna

Depois deste clamoroso fato histórico, não demorou muito para que se construissem as primeiras grandes igrejas, que hoje são chamadas de paleocristãs. Constantino enfrentou dificuldades jurídicas e religiosas, para mandar aterrar o antigo cemitério e construiu uma basilíca que honrava a memória do apóstolo sobre o lugar que ele teria sido enterrado.

Esta basílica foi consagrada pelo Papa Silvestro I no ano de 333 e, ao contrário do que muitos podem pensar, era simplesmente ma-jes-to-sa! A entrada era composta por um imponente quadripórtico e as dimensões do interior eram de aproximadamente 110m x 65m, 30m de altura, com 5 naves.



Afresco de Rafael com a antiga basílica de Constantino


Não faltaram oportunidades em que a grandiosa basílica foi roubada pelos saracenos, pois era decorada com ouro e pedras preciosas.

Foi somente com os "Muros Leoninos", isto é, os muros cosntruídos pelo Papa Leão IV que conseguiram proteger a basílica e todo o núcleo ao seu redor, que no futuro se transformaria no que hoje chamamos Estado Vaticano.

Pátio da PInha, Museus Vaticanos, guia de Roma em português
Pinha da Antiga Basílica, hoje no Cortile della Pigna, Vaticano

Da antiga basílica, ainda podemos apreciar algumas coisas que mantiveram ou re-inseriram na nova: o portão principal de Filarete (apelido do artista Antonio Averlino, feito em 1445) , a escultura de S. Pedro (séc XIII) por Arnolfo de Cambio, um mosaico de Giotto ("mosaico della Navicella"), no átrio. Se passarem por acaso dentro dos Museus Vaticanos pelas "Stanze di Raffaello", verão um afresco que representa "O incêndio de Borgo", com a fachada da antiga basílica.


Para compreender Roma são necesessários anos de estudo de arte, arquitetura e arqueologia e outros tantos anos para aprofundar este conhecimento e escrever artigos como este. Escolha uma guia profissional pois ela fará uma grande diferença na sua estadia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário