sábado, 25 de dezembro de 2010

Onde passar o Reveillon em Roma?



LEIA O POST REVEILLON 2012 EM ROMA!

Essa é uma pergunta que todo mundo me faz, que vejo por aí nos forums e tal...

Para mim, o melhor jeito de passar o Reveillon em Roma é comer bem num restaurante de Trastevere e depois ir ver os fogos de artifício numas das seguintes zonas: Prati, que em 2009 fez fogos lindos, Testaccio ou... o Gianicolo, uma das colinas de Roma, de onde voce pode observar grande parte da cidade de uma perspectiva muito boa!



Todas as fotos, bar de Biagio, na Via della Scala em Trastevere

Não esqueça de levar uma garrafa de ótimo Prosecco!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Templo de Hercules, Foro Boario


Templo de Hércules

Templo de Hércules em Roma


Tivemos a sorte que este maravilhoso templo antigo dedicado à Hércules Invictus (também conhecido como templo Hercules Olivarius) chegasse à nós quase intacto. Estamos olhando para uma deliciosa construção no ano de 120 a.C., e que possivelmente o arquiteto grego que o realizou chamava-se Hermodoros de Salamina. No seu interior foi encontrado também a estátua de Hércules (realizada pelo escultor Skopas Minore), escolha nada casual, dado que ele o padroeiro do comércio e dos rebanhos. Esta zona foi transitada por rebanhos desde à noite dos tempos da Idade do Bronze e o comércio é a mais forte razão para a fundação de Roma, que mais precisamente, acontecia exatamente neste lugar, com os gregos que subiam o Tibre para comerciar com os etruscos, que por sua vez desciam para comerciar neste importante empório.

Detalhes da arquitetura do Templod de Hércules


O diâmetro do templo é de quase 15m, rodeado por 20 colunas coríntias de 10m de altura, construído sobre uma base de tufo (pedra muito comum e material de construção número um de Roma). O interior tinha as paredes revestidas de travertino, o mármore da região.

Templo de Hercules e Templo de Portunus
O templo de Portunus no fundo

Templo de Hércules e o Cristianismo




Em 1132, o templo foi convertido em igreja pela potente família de nobres, os Savelli (dedicada à Santo Estevão das Carroças; o topônimo "das Carroças" se refere à uma rua que passava aqui perto e que era chamada "Rua das Carroças").


Novos afrescos foram adicionados ao altar em 1475. Na segunda metade do século XVI, a igreja foi dedicada à Santa Maria do Sol por causa de uma imagem da Virgem Maria que foi achada no Tibre e que, segundo a lenda, teria lançado raios de sol.


Templo de Hércules, COlunas
Veja nesta foto como o templo era coberto por placas de travertino,
mas a estrutura era feita de tijolos

Das 20 colunas originais, hoje temos 19, pois uma foi "reciclada" antes que o templo fosse transformado em igreja.

Adoro quando tenho que passar por aqui, pois ver este maravilhoso templo, não tão grande de tamanho, mas de enorme importância para a reconstrução da história de Roma e é uma experiência tocante todas as vezes!

Para fazer um tour na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.

Monumentos importantes aqui perto: 


Santa Maria in Cosmedin: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/09/santa-maria-in-cosmedin-igreja-da-bocca.html 

São Nicolau em Cárcere: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/08/basilica-de-sao-nicolau-no-carcere.html 

Teatro Marcelo: http://guiaderoma.blogspot.de/2017/02/teatro-marcelo-de-roma.html

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Templo de Portunus

Templo de Portunus
Lateral do Templo de Portunus, Foro Boário

Templo de Portunus em Roma


A zona do Foro Boário, onde fica o templo de Portunus, é uma zona importantíssima desde a noite dos tempos da Idade do Bronze pois este ponto representava uma encruzilhada onde existia o comércio de gado séculos antes da fundação da cidade de Roma.

O Templo de Portunus chegou até nós em excelente estado de conservação, portanto se você vem à Roma para ver o que esta cidade tem a oferecer de preciosidades arqueológicas, essa é uma delas. A coisa surpreendente, é que este templo, como o templo de Hércules, não ficam fechados em uma zona cercada e com ingresso; são monumentos antiquíssimos e importantíssimos, que você encontra caminhando, sobre a calçada de uma rua.




Detalhes históricos do Templo de Portunus


A construção deste templo aconteceu entre os anos de 80-70 a.C., (os arqueólogos encontraram indícios nas fundações que ele teria sido construído sobre um templo ainda mais antigo, do IV- III séc. a.C.) e dedicado a Pórtuno (Portunus), divindade protetora do porto fluvial, pois o rio Tibre passa aqui na frente!

Templo de Portunus, Foro Boario

No século IX d.C. o templo foi  convertido em igreja e dedicado à Santa Maria Egipcíaca (padroeira das prostitutas; tem uma razão, mas a história é longa, contamos pra vocês aqui!).
No século XVI o edifício passou a uma ordem de monges armenos que realizou algumas reformas, construindo diversos edifícios colados nos seus muros; tudo isso foi demolido durante o regime fascista, nos anos 30 do século XX, quando abriram a "Via del Mare", a estrada que leva à Ostia.




Arquitetura do Templo de Portunus


O templo romano é composto por colunas da ordem iônicas e a curiosidade aqui é que com excessão das colunas do pronao,(parte retangular anterior à entradado templo) que são de mármore travertino, as semi-colunas são feitas de tufo (uma pedra lávica com tonalidade escura) e foram revestidas para parecer mármore; assim como os capitéis, foram finalizados em um tipo de gesso, mais resistente do que o normal - se tiver um binóculo, vai vê-las encaixadas no topo das colunas!


O seu interior tem ainda afrescos medievais  que contam estórias da vida da Santa Egipcíaca e uma tela do pintor Frederico Zuccari com a santa.

Afrescos templo de Portunus
Interior e afrescos do Templo de Portunus, foto de Mirta Zambonini

O templo fica bem na frente da famosa Bocca della Verità e pode ser admirado somentepor fora, pois em raríssimas ocasiões é possível entrar na antiga igreja-templo. Este canto de Roma, o Foro Boário, é sem dúvida muito especial, pois aqui é a antiga encruzilhada onde vários povos se encontravam para trocar mercadorias, antes da fundação de Roma.

Endereço:
Piazza della Bocca della Verità, 00186 Roma

Para fazer um tour na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento. 

Monumentos importantes aqui perto: 

Santa Maria in Cosmedin: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/09/santa-maria-in-cosmedin-igreja-da-bocca.html 

São Nicolau em Cárcere: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/08/basilica-de-sao-nicolau-no-carcere.html 

Teatro Marcelo: http://guiaderoma.blogspot.de/2017/02/teatro-marcelo-de-roma.html

Templo de Hércules: http://guiaderoma.blogspot.com/2010/12/temple-de-hercules-forum-boarium.html

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Inverno em Roma


Pantheon, num dia de chuva

OBS em 18.02.2012: O inverno de 2012 foi uma excessão no clima de Roma e a Primavera já começa a querer aparecer!

Para quem vier à Roma no inverno, prepare-se para muita chuva! Sapatos impermeáveis, capa e aproveite a ótima escolha de museus da cidade! Palazzo Barberini com seus Caravaggios, Cappella Sistina e Musei Vaticani, Palazzo delle Esposizioni, Museo Barraco sao exemplos de musts da cidade eterna!

Depressões no início da época são freqüentes e intensas que se originam no Golfo da Ligúria e afetam o clima de Roma. Com o avanço da temporada diminuem gradualmente para um mínimo em Janeiro, que têm um certo nível de pressão alta. E assim foi por muitos anos. O que temos observado é uma estação muito chuvosa. Em 2009 choveram 88 dias durante o inverno!
O mês seguinte, fevereiro é muitas vezes caracterizado pela predominância de alta pressão, resultando em fortes incursões de ar frio da Sibéria, resultando em uma diminuição na temperatura, ventos que limpam o céu da nuvens e proporcionam uma luz particularmente intensa perto das horas em torno ao meio-dia, com possibilidade de ver as montanhas de Frascati do centro de Roma.
Nesta situação, os Apeninos desempenham um papel crucial, uma vez que divide o Tirreno ao Adriático, favorecendo um forte vento frio com céu limpo na "metade" do Tirreno e chuva forte e neve na parte "Adriática".

Tragam cachecol, luvas e sapatos impermeáveis... e para os mais friorentos como eu... ceroulas ;) !

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O auditório de música de Renzo Piano







Foto aérea do "Parco della Música" de Renzo Piano em Roma

Um dos "cocoons" - auditórios de Renzo Piano, em Roma


Fondazione Musica per Roma, um auditório que é um verdadeiro monumento arquitetônico na cidade eterna, vale a pena ir lá só para visitar essa maravilha!

Tive a sorte de ser vizinha de estúdio do arquiteto Paolo Martellotti, da geração de Renzo Piano, que me contou que as primeiras licitações para o auditório começaram em 1971 em uma ação "urgente" da prefeitura de Roma. Fato está que esta urgência se realizou 31 anos depois!

O auditório Parque da Música foi projetado pelo célebre arquiteto italiano Renzo Piano. A sala "Sinópoli" foi inaugurada dia 21 de abril de 2002; a maior sala, no dia 21 de dezembro do mesmo ano.
Este complexo tem uma área de 55.000 m² e está localizado perto do bairro de Parioli.

A estrutura escultural da cobertura abrange 3 "coccons" ou "escaravelhos" de dimensões diferentes, a sua forma foi modelada em placas de chumbo arranjadas umas sobre as outras.
O auditório externo tem lugar para 3000 expectadores.



Além das salas de concerto, a estrutura possui três diferentes estúdios de gravação e um foyer, utilizado também para exposições de artes plásticas; nesta seção encontra-se também uma cafeteria, um bar-restaurante e uma grande livraria com entrada pelo lado da rua principal.
O órgao responsável pela programação é a Accademia Nazionale di Santa Cecilia, que tem um escritório dentro do espaço.


Durante a contrução, os pedreiros se depararam com uma vila patrícia romana que provavelmente data do ano 500 a.C., coisa muito comum em Roma quando se faz qualquer tipo de obra. A equipe responsável pela construção resolveu então aproveitar e dedicar um espaço à esta inesperada descoberta, por isso tem um pequeno sítio arqueológico para visitar!

A programação mais intensa de música clássica e contemporânea de Roma se encontra neste fantástico espaço, que chega a apresentar espetáculos de danças folclóricas típicas, ao rock, pop, jazz, eletrônica e étnica, literatura, poesia e lançamento de livros, representando um dos pólos mais importantes de cultura da cidade de Roma hoje.

Hoje em dia também são realizadas conferências sobre História e Arqueologia para um grande público.

Olhem a programação no site! Tem música, dança e livros para todos os gostos!

Foto: www.auditorium.com

Visite o site oficial: www.auditorium.com e acompanhe a programação musical.

Auditorium Parco della Musica gestito da FONDAZIONE MUSICA PER ROMA Viale Pietro de Coubertin 30 - 00196 Roma | Legal - Credits
Infoline: tel. 0680241281 - Bilheteria: tel. 892982 (serviço a pagamento) - Contatos: info@musicaperroma.it

Meios de transporte que levam ao "Parco della Musica":
- Linha "M" transita entre Stazione Termini e Viale Pietro de Coubertin (Auditorium) das 17h até o final do último espetáculo. Saídas a cada 15 minutos
- 910, transita entre Termini e Piazza Mancini
- 53 transita entre Piazza Mancini e Piazza San Silvestro
- 217 transita entre V.le XVII Olimpiade e Stazione Termini
- 231 transita entre P.zza Mancini e P.le delle Canestre (Villa Borghese) somente aos Sábados e Domingos
- 2 transita entre P.le delle Canestre (Villa Borghese/P.le Flaminio) e P.zza Mancini
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Leia e veja filmes sobre Roma antes de viajar!
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Aprenda como escolher a melhor localização para o teu hotel!
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Saiba como economizar com o Roma Pass.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Roma Store



Para os fans de futebol italiano, o endereço da Roma Store no centro: Piazza Colonna n°360 - Roma Tel. 06.6793591 - Biglietteria Tel. 06.69200642


Piazza Colonna, 360 00187 Roma ->mapa no google: http://maps.google.com/maps?rlz=1C1CHNG_enIT333IT333&sourceid=chrome&q=Piazza%20Colonna,%20360%2000187%20Roma%20Rom,%20Italy%2006%20678%206514&um=1&ie=UTF-8&sa=N&hl=en&tab=wl

É lá que se compram tickets pros jogos.

Atenção: precisa ter carta de identidade original de todas a pessoas que vão ver o jogo!

Pra quem está hospedado perto do Vaticano, vá ao terminal de estacionamento de ônibus turísticos do Gianicolo e lá dentro procure o ponto final do ônibus 116.

Se estiver perto de Termini, pegue o ônibus 64  e desça na Piazza Venezia. Suba a Via del Corso e quando chegar à Piazza Colonna, à sua esquerda, já vai ver a loja.

Perto de Campo de Fiori, tem uma outra loja (mas com menos produtos), que também vende camisetas do time de Roma: Via Arenula, n°82 - Roma Tel. 0668809775

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Transporte público para Castel Gandolfo


A praça, no fundo a residência de verão do Papa 
e à direita a escada para a Igreja de S.Tomás

Desde 1597 Castel Gandolfo é conhecida por ser o lugar onde o Papa passa as férias. A "villa" (mansão, em português) do Papa foi construida sobre restos da antiga casa do Imperador Domiziano, último da dinastia dos "Flavios", que exerceu a faculdade de imperador entre 81-96 d.C.

Na praça principal da aldeia tem duas fontanas, ambas desenhadas pelo Bernini e uma igreja dedicada a São Tomás de Vilanova.

O sistema de transporte público de Roma para Castel Gandolfo consiste em ônibus, que os romanos chamam "pullman".
Para ir lá vê-lo aparecer na janela durante o Angelus , aqui os links dos horários dos ônibus. Eles saem da Metro A, parada ANAGNINA.

Para pegar o trem da estação do Termini, ver o site da "Ferrovie dello Stato", aqui: horários de trens para Castel Gandolfo. A viagem dura 40 minutos, mas os trens não partem são muito frequentes e domingo precisa pegar o das 8:37 por que o das 10 não roda em feriados!

A agenda oficial do Papa: http://www.vatican.va/various/prefettura/it/udienze_it.html

domingo, 27 de junho de 2010

Comer em Roma

Há muito tempo que gostaria de fazer um post sobre este assunto, já que é tudo tão diferente aqui...e esse momento de entressafra, saindo da minha rota de Portugal e voltando à Roma, resolvi finalmente escrever sobre isso...

Entrada: Caprese com alici

Em primeiro lugar, gostaria de sublinhar o fato que o amor por "estar à mesa" dos romanos é uma herança dos estruscos, um povo que habitou a península itálica muito antes dos romanos. Resumindo muito a importância deles aqui, pode-se dizer que ensinaram os latinos como cultivar o vinhedo e a agricultura de modo geral.

Uma entrada típica toscana com bruschetta

Os romanos comem muito, começam com os "antipasti" (as entradas) que podem ser torradinhas com pasta de alice ou paté de azeitona, flores de abobrinha fritos ("fiori di zucca"), "prosciutto e melone" (melão com presunto crú - das melhores coisas pra comer quando o dia esta' muito quente), "mozzarella e pomodoro" (tomate e muçarela), "carpaccio di zucchine". Num restaurante de peixe, você vai encontrar coisinhas com alici, salmão defumado, ostras, "tartufo di mare" (molusco que vive em concha parecida com um marisco); polvo, "moscardini" (pequeno polvo) com fios de abobrinha, coração de alface e molho de alici... e por aí vai, dependendo da creatividade do cozinheiro!


Beliscando em uma vineria: queijos, vinho e conservas

Os romanos são loucos por peixe, e como regra, este é fresco na maior parte dos restaurantes nas 6as feiras. Em restaurantes muito bons (entende-se $$$$), chega fresco todos os dias de manhã. E tem cada restaurante de peixe aqui!

Peixe, sempre fresquíssimo


Come-se de modo muito "simples", sem cremes de leite e coisas do gênero, confiam na autenticidade e alta qualidade da matéria prima para o sucesso do prato: um bom azeite (que aqui se chama "olio") é fundamental. Cada região da Italia diz que tem o melhor azeite, "olio". Todos são bons, com diferenças dadas pelo solo onde crescem as oliveiras.


Reconstrução de cozinha na Roma Antiga, trabalho fantástico de Eduardo Barragán

Passemos aos "primi", que podem ser pasta ou risotos (feitos em modo completamente diferente do nosso). Em todo o caso, a pasta tem que ser "al dente", isto é, nunca como uma consistência de "papa", mas no caso dos spaghetti, por exemplo, eles tem que estar soltinhos e separados uns dos outros. Devem ser mordidos. É uma arte italiana a pasta al dente. Eu adoro!

Um contorno de batatas, alcachofra e puntarella


Experimente coisas tipo "pasta con le zucchine" (macarrão com abobrinhas), "zucchine e gamberi" (abobrinhas e camarões), con beringela, tomate cereja e muçarela (também chamada de "pasta alla norma", tipicamente siciliana), con aspargos, com alcachofras. Os "risotti" (risotos): "alla pescatora" (com frutos do mar), "al radicchio" (alface roxa), allo zafferano (com alçafrão), "risotto di funghi porcini" (para quem gosta, risoto com um tipo muito especial de champignons), "risotto di zucca" (abobora, muito bom!). E o que não é bom desta lista?!?

Tiramissu


Depois do primo vem o secondo, isto é, carne ou peixe. Experimente tudo, pois mesmo as coisas que conheçemos tem um sabor levemente diferente aqui, e vale a pena conferir!

"Tripa" é um ti'pico prato romano, são interiores. Come-se muita "bistecca" (de porco ou vaca), "ossobuco alla romana" (carne de vitelo), "peixe al forno" (assado)...

Spaghetti alla Carbonada


E junto com o "secondo", vem um "contorno", isto é, uma verdurinha...tipo um , "porcini saltati con pomodoro" (champignons frito com tomate), beringela e abobrinha grelhadas... ou simplesmente "verdura ripassata in padella", a verdura cozida e refogada.

 

Não esqueçamos da sobremesa: frutas da estação ou um "sorbetto", uma torta, muito comuns a "torta del nonno", torta de chocolate com pinoli e a "torta della nonna", branca com pinoli.

Bolo de chocolate

Chegamos ao fim da nossa refeição. Depois do café ("corto", um expresso bem curtinho), só falta o "digestivo", vasta opção de licores e "amaro" (fernet bianca, averna), dependendo da região feito com frutas, em roma toma-se muito "Limoncello".

Estamos prontos pra ir visitar o Vaticano!

sexta-feira, 12 de março de 2010

Gravner Breg - o melhor vinho branco do mundo!



Josko Gravner, personagem especial do mundo do vinho, vem de uma família de grandes produtores do norte da Itália.
Depois de uma feira de vinho na Califórnia e infinitas degustações, ele achou que o rumo que a produção de vinho estava tomando não era bom. Ele resolveu ir à República Socialista Soviética da Geórgia e esse evento revolucionou o seu modo de produzir o vinho, voltando à produzi-lo como tradicionalmente se fazia 8.000 anos atrás naquela região: em ânforas de cerâmica enterradas no solo.

Foi um progeto que demorou para acontecer, pois nesta zona tem infelizmente muita guerra...

Depois de se apaixonar lentamente pelo sabor que tinha experimentado, volta à Italia, joga fora todo o equipamente moderno com o qual produzia o seu vinho e importa as ânforas para iniciar uma produção neste tipo de material e uma colheita atenta às fases da lua.

E' uma história emocionante, confira o vídeo (italiano, com legendas em inglês)... e se puder experimente o Gravner Breg! http://www.youtube.com/watch?v=16dSa99sKk4 e  http://www.youtube.com/watch?v=6-A1A4GNRNk

www.gravner.it

Importadora no Brasil: www.vinhoszahil.com.br/busca.aspx?search=gravner (atençao, preços salgados!)

segunda-feira, 8 de março de 2010

Amelia Rosselli - Homenagem de 8 de Março 2010



"(...) Tao
potersi tenersi in tal modo sul piano orizzontale della
vita (impegnati)
we live on the superficie of earth, not in its
substance, nor in the air

(no crude harsh, extreme vocabulary)

simplicity

find perfect grammar

no subtle confusion

(...)
"

extrato de Diario in Tre Lingue (1955-1956), Amelia Rosselli


Amelia Rosselli le: La Libellula

www.youtube.com/watch?v=ggpt4BI8sVA
da La libellula
By greta rosso

La santità dei santi padri era un prodotto sì cangiante ch’io decisi di allontanare ogni dubbio dalla mia testa purtroppo troppo chiara e prendere
il salto per un addio più difficile. E fu allora
che la santa sede si prese la briga di saltare
i fossi, non so come, ma ne rimasi allucinata.
E fu allora che le misere salme dei nostri morti rimarono per l’intero in un echeggiare violento,
oh io canto per le strade ma solo il santo padre
sa dove tutto ciò va a finire. E tu le tue sante brighe porterai ginocchioni a quel tuo confessore
ed egli ti darà quella benedetta benedizione
ch’io vorrei fosse fatta di pane e olio. Dunque
come dicevamo io ero stesa sull’erba putrida
e le canzoni d’amore sorvolavano sulla mia testa
ammalata d’amore, e io biascicavo tempeste e preghiere e tutti i lumi del santo padre erano accesi. La santa sede infatti biascicava canzoni puerili anche lei e tutte le automobili dei più ricchi artisti erano accolte tra le sue mura;
o disdegno, nemmeno la cauta indagine fa si che
noi possiamo nascondere i nostri più terrei difetti, come per esempio il farneticare in malandati
versi, o lagrimare sulle mura storte delle nostre ambizioni: colori odorosi, di cera, staglíati
nella odorante stalla dei buongustai. Ma nessun
odio ho in preparazione nella mia cucina.solo la stancata bestia nascosta. E se il mare che
fu quella lontana bestia nascosta mi dicesse
cos’è che fa quel gran ansare, gli risponderei
ma lasciami tranquilla, non ne posso più della tua lungaggine. Ma lui sa meglio di me quali
sono le virtù dell’uomo. Io gli dico che è più felice la tarantola nel suo privato giardino,
lui risponde ma tu non sai prendere. Le redini
si staccano se non mi attengo al potere della razionalità lo so tu lo sai lo sanno alcuni ma ugualmente la cara tenda degli scontenti a volte perfora anche i miei sogni. E tu lo sai. E io
lo so ma l’avanguardia è ancora cavalcioni su
de le mie spalle e ride e sputa come una vecchia fattucchiera, e nemmeno io so dove è che debbo prendere il tram per arricchire i tuoi sogni,
e le mie stelle. Ma tu vedi allora che ho perso anche io le leggiadre risplendenti capacità di chi sa fregarsene. Debbo mangiare. Tu devi correre.
Io debbo alzar.Tu devi correre con la coda penzoloni. Io mi alzo, tu ti stiri le braccia in un lungo penibile addio, col sorriso stretto e duro sulla
tua bocca non troppo ammirabile. E cos’è quel
lume della verità se tu ironizzi? Null’altro
che la povera pegna tu avesti dal mio cuore lacerato. Io non saprò mai guardarti in faccia; quel che desideravo dire se n’è andato per la finestra,
quel che tu eri era un altro battaglione che io non so più guerrare; dunque quale nuova libertà
cerchi fra stancate parole? Non la soave tenerezza di chi sta a casa ben ragguagliato dalle alte
mura e pensa a sé. Non la stancata oblivione
del gigante che sa di non poter rimare che entro
il cerchio chiuso dei suoi desolati conoscenti;
la luce è un premio di Dio,ed egli preferì vendersela che vedersela sporcata dalle tue oblivíonate mani. Non so cosa dico, tu non sai cosa cerchi, io
non so cercarti. Nel mezzo di una luce che è
chiara e di un’altra che è la cattiveria in persona cerco il ritornello. Nel mezzo d’un gracile cammino fatto di piccole erbe trastullate e perse nella sporca terra, io cerco, e tu ti muori presso un albero infruttuoso, sterile come la tua mano.
0 vita breve tu ti sei sdraiata presso di me che
ero ragazzina e ti sei posta ad ascoltare su
la mia spalla, e non chiami per le rime. Io
allungo le gambe e vendo i parafanghi con un
color prezioso, tu ti stilli contento in un luccichio di cattive abitudini. Io mordo la mela per sostenere queste mie deboli vene al collo che scoppia di
pena, e la macchina urla più forte della mia sensata voce. Io non so cosa voglio tu non sai
chi sei, e siamo quasi pari…

terça-feira, 2 de março de 2010

O melhor cappuccino de Roma

O melhor cappuccino de Roma - dicas de guiabrasileiraemroma.com.br
Alessandro preparando a sua obra-prima

Quem quiser experimentar o melhor cappuccino, com um dos baristas mais simpáticos de Roma, vai encontrá-lo num bar que se chama "Settimiano", que fica em Trastevere, na esquina da Via Garibaldi com a Via della Lungara - de manhã bem cedo até às 13.00.

O melhor cappuccino de Roma - dicas de guiabrasileiraemroma.com.br
Que delícia de cappuccino!

O cappuccino custa em média entre 0,80 e 1,50 euro, e pode ser bebido em xícara ou "al vetro", num copinho de vidro. Pode ser "scuro" (escuro) ou "chiaro" (claro), isto é, com mais ou menos leite; "com molta schiuma" ou "poca schiuma" (muita ou pouca espuma de leite).
- Caffè or Caffè Normale ou Espresso. O básico.
- Caffè ristretto. Café baixinho, muito forte e concentrado.
- Caffè lungo. É o passo sucessivo do "ristretto"; servido também em xícara pequena ou copinho de vidro, tem mais agua e o faz um pouquinho mais fraco do que o anteriores. Mas é bem forte, também!
- Caffè americano. Servido em taça grande, tem bastante água adicionada; é o mais fraco que consegue tomar na Itália, para quem acha o expresso forte demais.

Se quiser adicionar leite, peça "un pò di latte per favore"!

E por aí vai!

O melhor cappuccino de Roma - dicas de guiabrasileiraemroma.com.br

Mas ninguém faz um cappuccino como o Alessandro do Bar Settimiano, que conhece o gosto e o nome de cada cliente seu, parte fundamental da vida trasteverina!

Faça-o uma visita, você não vai se arrepender!
Aqui o endereço:
Via di Porta Settimiana - 00153 Roma, Itália - 06 5810468.
Eles fecham aos domingos para repouso semanal.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Traslado aeroporto


Para as pessoas que quiserem um translado do aeroporto ao hotel, finalmente temos agora em quem confiar em Roma, Mião, Firenze, Veneza ou Nápoli!

Como funciona o serviço?

O meu motorista de confiança vai ao aeroporto com o seu nome e sobrenome escritos claramente num papel e te espera na saida do portão, logo depois que se pega as malas nas esteiras.

Este é um serviço muito especial, pois Alfredo torna a tua vida muito simples e confortável depois do cansaço do vôo, sem que você tenha que prestar atenção em caminhos, ou qual táxi pegar na saída... sobretudo sem ter que discutir preços, pois desde o princípio, já sabe quanto vai pagar.




Os carros da frota romana são: Mercedes E-class e Mercedes S-class, Mercedes Viano and Mercedes Sprinter. Fiat Ducato e Ford Transit.
Ônibus de 16-24-36-54-77 lugares.
Os motoristas são de absoluta confiança.

Os motoristas não têm uma formação em línguas e não falam português, mas em alguns casos, inglês.

Para reservar o transfer em uma das cidades acima, é só entrar em contato comigo através da página http://www.guiabrasileiraemroma.com.br/#!contato/c1lmm

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Casa Beleza

A gente sempre brinca que em qualquer lugar de Roma onde você quiser fazer um buraco, vai encontrar um ruína romana....vou postar aqui o link de uma casa que foi descoberta em 1958 mas nao é aberta ao publico....temos que nos conformar em ver o site com as fotos...


A domus do largo Arrigo VII foi descoberta em 1958, durante a restruturaçao da casa que tinha sido construído na década de trinta.
A domus (que quer dizer casa em latim e indica casa de nobre em arqueologia), também chamada de "Casa Bellezza" dada pelo proprietário,o diretor de orquestra Vincenzo Bellezza, é um exemplo importante de casa da alta sociedade do final da época republicana (509 a.C. - 27 a.C.).

A estrutura da habitação que, provavelmente, dava para a atual Via di Santa Prisca (Publicius clivus) esta' atualmente a 12 m de profundidade e é composta por duas salas com afrescos, construída em alvenaria com inserções abertas em um opus criptopórtico em concretum, além de uma terceira sala ainda completamente coberta, mas também provavelmente afrescada. Do criptopórtico ainda pode-se ver um braço completo, enquanto que os outros dois são parcialmente visíveis, interrompidos por fundações de uma obra tardia. Na junção dos braços do criptopórtico abre-se um corredor que levaria à uma rampa ao plano superior, infelizmente destruído.

Veja o vídeo de  2min45seg com esta maravilha: https://youtu.be/OB8OqvmH0iE

Esta casa está fechada para visitas ao público, como disse no início deste post, mas em Roma existem infintos monumentos que podem ser visitados, como mitreus, catacumbas e igrejas subterrâneas (escavadas ao longo dos séculos). Este tipo de excursão é muito emocionante e ideal para quem já veio à Roma algumas vezes ou terá uma estadia longa na cidade eterna.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

A Necrópole Vaticana

POST UPDATE DIA 02.02.2016.

Um dos passeios mais emocionantes de Roma... não se pode tirar fotos "lá embaixo" (é tudo subterrâneo, "dois andares" embaixo da atual Igreja de S. Pedro), mas tem um site muito bom com o passeio "on line" aqui: http://www.vatican.va/various/basiliche/necropoli/scavi_italian.html - cliquem em "Cliccare qui per iniziare la visita" e tenham paciência com o padre que fala um monte no início por que depois vale a pena!

Marque a tua visita antecipadamente, é obrigatório.
O passeio dura um pouquinho mais do que uma hora e 15 minutos com uma guia e é realmente excepcional! O tour custa  € 13. Este passeio é feito com guia exclusiva dos Museus Vaticanos. Em alguns casos, com antecedência, consigo obter tickets para o passeio, mas não ofereço visitas guiadas, pois não trabalham guias privativas neste caso, somente guias do próprio Vaticano.


A gente entra pelo lado esquerdo, perto do escritório e da saida da gruta vaticana (é aí que estava colocado o obelisco de 21m (um dos menores de roma!) que estava no antigo Circo de Nero, e que foi transferido ao centro da Praça de S. Pedro.

Você vai descendo, descendo num ambiente super úmido (mantido assim por meios artificiais para favorecer a conservação)... e vai se encontrar no meio da antiga necrópole que ocupava aquele espaço desde o fim do I século d.C. Era e-nor-me. Chegava até Castel Sant'Angelo, nas margens do Tibre, a 1,1 km da Basílica!).
Em 1940 o Papa resolveu cavar pra ver o que tinha lá embaixo, dado que desde tempos remotos se sabia que tinha uma necrópole, mas ninguém nunca tinha escavado....

Trata-se de um cemitério de "homens livres", ex-escravos que tinham conseguido um nível de vida bom e podiam pagar para ter uma sepultura descente. Interessante é a mistura de diferentes cultos: os escravos eram trazidos dos mais diferentes lugares à Roma, e de consequência traziam consigo diferentes bagagens culturais.

Seção longitudinal da atual Basilica de S. Pedro.

I. (em vermelho) Basílica Atual: 1. Sepultura de São Pedro; 2. Altar papal de Clemêncio VIII; 3. Baldaquino do Bernini; 4 Estatua de bronze de São Pedro.

II. (em preto) Grutas Vaticanas 5. Sepultura de Pio XII; 6. Capela Clementina; 7. Confessionário "Sancti Petri"; 8. Sepultura de João Paulo II*; 9. Sepultura de João Paulo I; 10. Sepultura de Paulo VI; 11. Sepultura de Bonifácio VIII

III. (em azul) Necrópole Vaticana

* A tumba do Papa João Paulo II foi transferida para a Capela de São Sebastião, na Basílica de São Pedro .

Se começa com a tomba "egípcia". Ao lado tem um sarcófago com uma inscrição que poderia ser uma "Diana"... como poderia ser outras coisas também; vi muitos paredes decoradas lindamente com mosaicos, pássaros e flores... lembrava muito o tipo de pintura das casas de Pompéia.
Enfim, não perca este passeio!

Preço da visita à necrópole, com guia oficial da Cidade do Vaticano: 13 euros. Para reservar, escreva a Ufficio Scavi scavi@fsp.va com pelo menos 3 meses de antecedência!

Gostou das informações que encontrou aqui? Deixe um comentário!

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Tivoli - Villa Adriana


«Fui à Tivoli, onde admirei uma das mais sublimes visões ofertas pela natureza. Aquelas cascatas, as ruínas, a paisagem... 
tudo aquilo está entre as coisas que nos fazem profundamente mais ricos.»
Goethe, 1786 


Praça D'Oro, Villa Adriana, Patricia Carmo Baltazar

Vale a pena fazer um bate-e-volta à Villa Adriana em Tivoli?


A Villa Adriana fica a 30 quilômetros do centro de Roma.

A Villa Adriana entrou na categoria dos monumentos Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1999, com muitos outros famosos sítios arqueológicos e mesmo que ela seja conhecida e tenha sido escavada há mais de quinhentos anos, mantêm-se desconhecida a função de grande parte dos seus edifícios.

Canopo, Cariátides, Villa Adriana, Foto de Giulia Cantisani
Villa Adriana 

Breve história de Villa Adriana

Villa Adriana em Tivoli foi construída em três momentos entre os anos de 117 d.C. e 133 d.C. pelo Imperador Adriano para ser a sua residência imperial. Este é o mais importante e complexo de edifícios imperiais que permaneceu da antiguidade; a área arqueológica era originalmente o dobro que Pompéia e hoje temos 40 hectares para visitar.

Guia de Turismo, Villa Adriana, Roma
Villa Adriana, Tivoli

Villa Adriana foi um espaço vivido até a Antiguidade tardia e foi depredada por Totila; viveu longos séculos de abandono, durante o qual se tornou "Tivoli Antiga", uma pedreira de mármore e tijolos para a cidade vizinha de Tivoli e seu bispo. No final do século XV, Biondo Flavio identificou-a novamente como a Vila do Imperador Adriano descrita na História Augusta (de um autor desconhecido, sobre a vida dos imperadores) e naquele período o Papa Alexandre VI promoveu as primeiras escavações no teatro Odeon, durante a qual as estátuas e importantes mosaicos foram descobertos e levados para museus no exterior.

Três Exedras, VIlla Adriana


Sua fama foi consagrada pelo Papa Pio II Piccolomini, que visitou e descreveu em seus Comentarii.
Como é de se esperar, os tesouros da villa foram ao longo do tempo "incorporados" (que bela expressão, huh?!?) nas vilas dos nobres que lá primeiro chegaram.

Canopo, Villa Adriana


Durante a primeira escavação foram encontradas muitas estátuas de Musas, "salvas" para o olhar do público, hoje no Museu do Prado em Madrid.

Pequenas Termas, VIlla Adriana

Pode-se dizer que por essa razão, a Villa Adriana é uma das boas alternativas para os visitantes que se encontram em Roma e que não tenham tempo para fazer uma viagem de trem tão longe, para ver  um exemplo de construções do período imperial das famosas Pompéia e Herculano, perto de Nápoles. Sim, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, isto é: Pompéia e Herculano eram cidades onde pessoas viviam. Aqui temos um exemplo monumental de residência imperial, não existem estabelecimentos comerciais, templos e ruas transitadas por cidadãos como podemos apreciar na também perto de Roma, em Ostia Antiga http://guiaderoma.blogspot.it/2013/12/ostia-antica.html.

Grandes Termas, Villa Adriana
Tivoli, foto de chogenbo

Hoje em dia a Villa Adriana é utilizada para a apresentação de espetáculos de teatro e música durante o verão.

Canopo, Foto Giulia Cantisani
Palco montado em Junho de 2014 para espetáculo de dança

Canopo,  Villa Adriana, Foto de Giulia Cantisani
Cair da tarde na Villa Adriana

O percurso básico que sugerimos com a guia é de visitar as termas, piscinas, a suposta Aula Regia, salas de estar (triclini), salas de reuniões, alojamento dos escravos, ruas, templo de Vênus, Teatro Greco e aposentos servis. Vamos ter uma idéia do que significava "mansão" para um imperador romano no século II d.C. além de conhecer os hábitos alimentares de Adriano e seus servos.

Praça D'Oro, Villa Adriana

Infelizmente não posso colocar a minha mão no fogo pelos meios de transporte que levam à Tivoli; neste caso aconselho fortemente um motorista que acompanhe comodamente a excursão!
Para informações, por favor escreva um email patcarmobaltazar@gmail.com.

Como chegar na Villa Adriana

Se quiser mesmo ir com os meios de transporte público, é necessário pegar o metrô B em dirão Rebibbia e descer em Ponte Mamolo, de onde partem das plataformas, os ônibus para Tivoli. Antes de ir à plataforma, é necessário descer ao subsolo da estação, em direção ao bar, onde compra-se no caixa os tickets de ida e volta para Tivoli. Voltar para o andar superior e ir à plataforma no fundo, de onde partem os ônibus para Tivoli.
Os ônibus marcados com "autostrada" ou "A24" sao mais rápidos: escolher a linha que pega a autoestrada para ir direto à área arqueológica. Para ir à Villa d'Este, desça na Piazza Garibaldi. Perguntar para o motorista onde descer, esta é a prasse aqui! Essa operação dura aproximadamente uma hora e pouco do centro e custa ~ € 7.

Villa Adriana, Templo de Diana


Horário Villa Adriana: 9.00-à uma hora antes do por do sol. Fechado: 1° Janeiro, 25 Dezembro.
http://www.villaadriana.beniculturali.it/

Ticket entrada: inteiro € 12,00; reduzido € 8,00. Em ocasiões de mostras especiais: € 9. Audioguia: disponivel em italiano, ingles, frances e espanhol. Custo: 4 euro.

Villa Adriana faz parte do nuovo circuito Roma&Più Pass.

Horario de abertura Villa D'Este:
***reserva obrigato'ria: email: villadestetivoli@telekottageplus.com
http://www.villadestetivoli.info/index.htm

Aqui um vídeo muito lindo da Villa D'Este, do jornal La Repubblica: http://video.repubblica.it/edizione/roma/tivoli-villa-d-este-vista-col-drone/161948/160439

Janeiro: entrada 8,30-16,00; saida: 17,00
Ticket entrada: inteiro € 8; reduzido € 4.

Fevereiro: entrada 8,30-16,30; saida: 17,30

Março: entrada: 8,30-17,15; saida: 18,15

Abril: entrada: 8,30-18,30; saida: 19,30

Maio: 8,30-18,45; saida: 19,45

Junho: 8,30-18,45; saida: 19,45

Julho: entrada: 8,30-18,45; saida: 19,45

Agosto: entrada: 8,30-18,45; saida: 19,45

Setembro: entrada: 8,30-18,15; saida: 19,15

Outubro: entrada 8,30-17,30; saida: 18,30

Novembro: entrada: 8,30-16,00; saida: 17,00

Dezembro: 8,30-16,00; saida: 17,00