sábado, 6 de janeiro de 2018

Chuva de pétalas no Pantheon

A chuva de pétalas do Pantheon em Roma acontece ao final da missa das 10:30h no feriado de Pentecostes, que em 2018 acontecerá no dia 20/05.

Chuva de pétalas no Pantheon, guia brasileira em Roma

Na antiguidade, durante este período, comemorava-se o final da colheita; na era cristã, Pentecostes é a festa que comemora a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos, 50 dias após à Ressurreição do Cristo.
Acredita-se que a tradição da chuva de pétalas no Pantheon tenha tido início no mesmo ano em que o Imperador Bizantino doou este edfício ao papa, que o transformou e consagrou em uma basílica dedidada aos mártires, isto é, 609 d.C.!

Chuva de pétalas no Pantheon, bombeiros se preparam

A missa na qual este evento maravilhoso acontece inicia às 10.30h e é necessário chegar cedo (não depois das 09:30h) para poder entrar no edifício, pois a presença de fiéis e curiosos é numerosa neste dia! O corpo de bombeiros é responsável pelo ato de jogar as pétalas através do óculo do Pantheon.


A maior parte dos fiéis fica ao fundo de pé; bem na frente há lugares reservados.

Chuva de pétalas no Pantheon, missa

A tensão no ar durante este evento é presente desde o início da missa e em alguns momentos já é possível ver a presença dos bombeiros ao redor da abertura.

Chuva de pétalas no Pantheon, inicio da chuva de pétalas

Vale à pena a espera, pois é um momento único fazer a experiência de partecipar deste momento para quem ama a cidade de Roma e um dos seus monumentos mais importantes.

Chuva de pétalas no Pantheon

Assim que o corpo de bombeiros incia a "chuva", acontece o êxtase total dos partecipanetes, criando este momento mágico e inesquecível, que acaba com todo mundo muito emocionado!

Chuva de pétalas no Pantheon


Fotografamos, caminhamos recolhendo pétalas do chão com sorrisos imprimidos no rosto, sorrimos a todos, é um evento muito especial!

Chuva de pétalas no Pantheon, final da missa


Chuva de pétalas no Pantheon, pétalas no chão



Saiba mais sobre o Pantheon aqui: https://guiaderoma.blogspot.de/2011/12/o-pantheon.html. Para que você possa entender o que vê em Roma, uma cidade com uma história tão interessante e densa, aproveite a sua visita com uma guia autorizada em português!

O Pantheon fica na Piazza della Rotonda, no centro histórico de Roma.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Alta e altíssima estação na Itália

Alta e altíssima estação na Itália - quais são os períodos?


Alta e altíssima estação ma Itália

Fundamental para quem está vindo à Itália saber que não há mais baixa estação no país da bota! 

Aqui fala-se em alta ou altíssima estação. O que isso muda pra você? Que em qualquer período do ano é aconselhável reservar tudo com meses de antecedência: hotéis, passeios e ticktes.
 
Alta e altíssima estação ma Itália

Fico feliz que a Itália esteja um sucesso crescente, fato que aconteceu a partir de 2010, quando os brasileiros finalmente resolveram dar as caras e "viraram estatística" por aqui. Agora é tomar as providências: guias de turismo profissionais estão com os meses cheios sempre com um ou dois meses de antecedência; na Sicília, leia quatro meses, por segurança.

Qual a melhor época para visitar Roma já foi explicado bem detalhadamente neste post aqui:
Qual a melhor época para visitar Roma? 

Agora, se estiver vindo à Itália em 2018 ou souber de alguém que está vindo, avise correndo para planejar tudo com pelo menos 6 meses de antecedência, se quiser hotéis legais, tours legais e tickets para todas as atrações que sonha.

Alta e altíssima estação ma Itália

Informe-se bem e curta a sua viagem, pois a Itália é um lugar tão especial que vale demais à pena de iniciar a degustá-la antes de chegar aqui, informando-se o que pode ser visto em cada cidade, aquele passeio a mais que vai fazer com que a sua viagem saia dos percursos mais batidos e mais cheios de gente...

Passeios alternativos, VIlla D'Este

... se vale à pena fazer bate e volta onde 5h você passa dentro de um trem, leia livros e veja filmes (ou leia e assista!) que tenham a a ver com a Itália... se você gosta de experimentar pratos típicos de cada região, sobretudo para já poder ter uma ideia do que vai encontrar nos cardápios e os jeitos de comer de cada lugar, o que come-se na estação em que estiver aqui - a cozinha italiana é muito ligada às estaçãoes do ano), quais os restaurantes mais aconselhados de cada cidade!

Alta e altíssima estação na Itália

Para evitar filas quilométricas, seus ingressos para todas as atrações principais devem ser comprados com meses de antecedência; pense em fazer um presente a si mesmo com uma entrada exclusiva, antes da abertura dos museus, por exemplo.


Desascelere, informe-se bem, reserve seus passeios com guias profissionais com antecedência e a sua viagem será inesquecível!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

7 imperadores para entender o básico de Roma

Para entender alguns monumentos é imprescindível saber a história de alguns imperadores em Roma.

Selecionei sete imperadores que têm as suas histórias ligadas a monumentos que você vai visitar com certeza em Roma, como o Coliseu e o Fórum Romano, Pantheon e Fontana di Trevi, para que você possa pelo menos começar a se familiarizar com seus nomes, períodos em que foram imperadores e o que fizeram de importante. Aí vão eles:

1. Imperador Augusto (dinastia Júlio-Claudia), 23 a.C-14 d.C.
"Primus inter pares", Augusto não quis ser imperador, apesar de ser considerado o primeiro. Após uma sanguinária guerra civil, o "garoto" chega ao poder onde permanece quase 40 anos em um período tranquilo e caracterizado pelo florescer das Artes em um estilo elegante e sóbrio. 
Construiu o Ara Pacis. Seu braço direito, Agrippa, construiu o aqueduto Virgem, que traz água até hoje à Fontana di Trevi e o primeiro Pantheon, que não é o que vemos hoje, pois apesar da inscrição nos dizer que foi Marco Agrippa que o construiu (coisa que causou muita confusão no até o passado recente), o edifício que vemos hoje foi reconstruído por Adriano.

Ara Pacis de AUgusto, guia brasileira em Roma


2. Imperador Nero (dinastia Júlio-Claudia), 54d.C.-69 d.C. - período anterior à construção do Coliseu
Perído glorioso do império, que acabava de ter transformado o Egito em uma espécie de província com um status especial (Augusto).
Todos os passeios ao Coliseu começam, pelo menos, com a história do incêndio de Roma durante o período em que Nero era imperador e construiu um lago artificial na Domus Aurea, a sua casa em Roma.
Nero é também lembrado quando você vai aos Museus Vaticanos e Praça São Pedro, pois segundo a tradição, o circo onde morreu o Apóstolo Pedro e onde foi construída a basílica de São Pedro pertencia ao Nero.
Famosas as últimas palavras de Nero antes de morrer, que chegou até nós através dos escritos de Suetônio: Qualis artifex pereo!, "e que artista morre comigo!", fato que ocorreu numa mansão do campo de um ex-esravo chamado Faonte, na Via Nomentana.


 Reconstrução lago da Domus Aurea em reção ao Coliseu, guia brasileira em Roma

3. Imperador Vespasiano (família Flávia), 69d.C.-79 d.C. - Coliseu
Vespasiano, aclamado pelas tropas foi eleito imperador e após ter suprimido a revolta judaica do ano de 66 d.C. em Jerusalém, iniciou a construção do grande monumento que marcaria a história da engenharia e arquitetura do mundo ocidental, o Coliseu.

Coliseu , Vespasiano, Guia Brasileira em Roma


4. Imperador Tito (família Flávia), 79d.C.-81 d.C. - Coliseu e Arco de Tito
Morto seu pai, Vespasiano, Tito finalizou a construção do Coliseu, que tinha acompanhado desde o início, e inaugurou o monumento em 80 d.C.


Arco de Tito, detalhe do interior do Arco com o Menorah durante o triunfo

5. Imperador Traiano, 98 d.C. - 117 d.C.  - Fórum Traiano, Coluna Traiana
Traiano, o grande imperador extremamente ligado ao exército por ter sido um grande general e ter conquistado o que chamamos hoje de Romênia (e na época se chamava Dacia), construiu o mais majestoso dos Fóruns, talvez com o arquiteto Apolodoro de Damasco. Como a Dacia tinha enormes jazidas de ouro, a sua conquista representou do ponto de vista econômico, um dos maiores espólios de guerra que chegaram em Roma. E isso explica por que o Fórum de Traiano é considerado o mais majestoso de Roma.


Forum Traiano, visita noturna, guia brasileira em Roma


6. Imperador Adriano (família Antonini), 117d.C.- 138d.C. - Castel Sant'Angelo
O imperador que repudiava a guerra e amava a Grécia, a Arte e a Arquitetura realizou seu mausoléu às margens do Tibre na primeira metade do século II d.C.. Hoje é chamado Castel Sant'Angelo, um grande museu, com uma das vistas mais bonitas sobre Roma.

Villa Adriana, estudando, guia brasileira em Roma - Templo Diana

A Villa Adriana é um dos passeios imperdíveis dos arredores de Roma.
O livro de Marguerite Yourcenar publicado em 1951 e que venceu o prestigioso "Prix des Critiques" (veja a sessão de livros e filmes sobre Roma) nos dá uma boa ideia sobre este imperador tão especial.
 
7 imperadores para entender o básico de Roma, guia brasileira em Roma

7. Imperador Constantino,  306 d.C. - 337d.C. - Arco de Constantino, Basílica de São Pedro, Basílica de Sâo Paulo e Basílica de São João em Latrão  
Final do império. Decadência e grandes problemas políticos e econômicos são o prato do dia do seu império.Este imperador decretou o Édito de Milão através do qual os cristão finalmente obtinham a liberedade de culto da própria religião; ele orgranizou o Conselho de Nicea na Turquia, ao qual  parteciparam entre 220 e 318 bispos que decidiram que Jesus Cristo é consubstancial ao Pai (isto é, tem origem divina) e oficializaram o dia da Páscoa no primeiro domingo de lua cheia após o equinócio de Primavera.


Constantino será mencionado nos passeios ao Coliseu por ter tido o Arco de Constantino erguido em sua homenagem entre 315-325 d.C. e durante a sua visita aos Museus Vaticanos, Capela Sistina e Basílica de São Pedro, pois foi ele que ordenou a construção da Basílica de São Pedro, também chamada de Basílica Constantiniana (da Basílica de São Paulo e da Basílica de São João em Latrão). 

Para escrever posts como são necessários anos de estudo sobre Roma. Visite Roma com uma guia autorizada e com experiência para aproveitar ao máximo a sua estadia.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Presépio do Papa Francisco 2017

O presépio da Praça São Pedro de Roma em 2017 é de menores dimensões em relação aos anos precedentes e conta com a presença de vários personagens que não são tradicionalmente representados em um presépio. Talvez seja o melhor que tenha visto até agora, em quase 20 anos de Roma.

Presépio Praça São Pedro 2017

A primeira é em relação às dimensões: ao invés de ser um enorme palco que marca uma encenação do nascimento de Jesus, encenação distante e claramente separada do observador, neste anos temos um presépio de dimensões pequenas, que nos convida a nos aproximar e olhar com atenção a cena representada, fato que gera uma introspecção no comportamento do observador. A semelhança da "cabana" onde acontece o nascimento de Jesus com a cúpola de São Pedro poderia ser uma alusão à própria Igreja, colocando-a como protagonista das Sete Obras de Misericórdia.

Presépio Praça São Pedro 2017

É importante que lembremos as palavras do papa assim que assumiu o pontificado, em 2013, dizendo que "vinha de longe para evangelizar". O papa Francisco fez questão de comemorar um Ano Jubilar e por isso realizou em 2016 o "Jubileu da Misericórdia". E aqui vemos o retorno deste tema, a misericórdia, que parece ter sempre muito espaço nos pensamentos de Francisco, desta vez revolucionando uma iconografia no meio da praça mais importante da cristandade.

Presépio do Papa Francisco 2017

O Presépio deste ano possui mais de uma narração: a narração "intrusa" são as Sete Obras de Misericórdia, inspiradas pelo evagelho de Mateus, Mt 25,31-46 e convida o fiel a 1) dar de comer a quem tem fome e 2) dar de beber a quem tem sede - obras complementares que nos lembram de pensar às pessoas que não têm a possibilidade de comer e beber todos os dias, como nós; 3) vestir os nús - quem sabe pensar a dar não somente roupas velhas, mas roupas que estejam em ótimo estado à pessoas que não têm como se vestir; 4) dar pousada aos peregrinos - antigamente ser peregrino podia ser muito perigoso. Hoje em dia esta obra de misericórdia poderia ser vivida pensando a amigos ou parentes a quem damos hospitalidade ; 5) assistir aos enfermos - fazer companhia à pessoas velhas ou doentes; 6) visitar os presos - ajudar presos não só com bens materiais mas dar um auxílio útil, como ensinar uma profissão, para que possam ver um futuro quando sair da prisão; 7) enterrar os mortos - nem Jesus quando morreu teria tido uma sepultura digna, mas graças ao José de Arimateia teve seu corpo retirado em tempo para ser enterrado.

E assim papa Francisco trabalha incessantemente com uma mensagem clara e coerente aos seus fiéis ou fans durante o seu pontificado.

Para escrever posts como são necessários anos de estudo sobre Roma. Visite Roma com uma guia autorizada e com experiência para aproveitar ao máximo a sua estadia.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix

Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix

Lucus Feroniae foi um antigo santuário sabino ao norte do Lácio, aos pés do MonteSoratte, já ativo no VIII século a.C. (40 minutos de Roma) e dedicado à deusa Feronia, equivalente à Perséfone (ou Proserpina), cuja festa era celabrada dia 13 de Novembro. Strabone nos conta sobre a celebração de um ritual onde “pessoas possuídas pelo demônio” caminhavam sobre brasas e cinzas com pés descalços, sem que se ferissem.

Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix

O santuário foi destruído por Aníbal em 211 a.C., século que coincidiu com a chegada dos romanos.
A Colonia Julia Felix foi fundada no I séc. a.C. e foi próspera até à queda do Império Romano, quando perde-se completamente a memória da sua existência, que só será redescoberta na metade do século XX, quando estavam trabalhando para construir a grande autoestrada que liga a Itália de norte ao sul, a A1.

guia brasileira em Roma, Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix, Anfiteatro

Incrível poder passear de novo, “longe de Roma” sobre estradas romanas de dois mil anos de idade. O que vemos hoje no sítio arqueológico é um “antiquário” (museu), com as peças mais preciosas encontradas aqui. Atrás do museu existe uma pequena área arqueológica com um fórum, duas termas e restos de um antigo teatro.

Ofertas à deusa Feronia, Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix, guia brasileira em ROma

Incríveis as ofertas à deusa Feronia: cabeças em cerâmica (pedindo proteção), animais ou membros do corpo, anéis, pulseiras, estatuetas, pratos ou colares em pasta vítrea, pequenos vasos de vidro que continham perfumes ou cremes perfumados. Aqui também tem uma tessera, ingresso para entrar no anfiteatro, como no Coliseu.


Infelizmente os mosaicos policromáticos dos pisos dos ambientes ao redor do Fórum estão cobertos e não podem ser vistos.

Reconstruçao Grafica Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix - guia brasileira em Roma

No mais, é uma linda surpresa poder visitar mais um precioso sítio arqueológico do inexaurível patrimônio italiano, em especial, dos arredores de Roma.
 

Fui premiada com um lindo dia de sol e adorei conhecer mais uma área arqueológica pertinho de Roma. 

Forum, Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix, Mosaico pavimental das termas, guia brasileira

Este passeio é aconselhado para quem já viu pelo menos Óstia Antiga, Villa Adriana, Cerveteri e Palestrina.

Patricia Carmo, Lucus Feroniae, Colônia Julia Felix

A área arqueológica fica no km 18 da Via Tiberina e pode-se chegar aqui através da saída “Fiano Romano” da Autosole e a entrada é gratuita.

Para visitar Roma e seus arredores com uma guia profissional que conhece o território e estuda há anos, por favor solicite seu orçamento aqui:  https://www.guiabrasileiraemroma.com.br/contato

domingo, 3 de dezembro de 2017

Roma em Dezembro 2017

Roma em Dezembro 2017, prepare-se antes de vir! Saiba sobre a temperatura, o que trazer na mala e o que fazer.

Roma em Dezembro 2017

 Temperatura no Inverno em Roma

Entrando no profundo Outono (é sim, por que o início oficial do inverno é dia 21 de Dezembro), os dias estão ficando sempre mais curtos e portanto escurece cedo, o por do sol acontece em torno às 16:45h! As temperaturas médias são de 11 °C e de noite abaixa bastante, veja o post com a descrição sobre a temperatura em Roma

Praça Navona, chuva, Roma em Dezembro 2017
 
Então, o que usar no outono romano, que para os brasileiros pode ser considerado um inverno? Começamos de baixo para cima: sapatos impermeáveis e com sola bem isolante. Se tiver um sapato que sabe que escorrega na umidade, deixe em casa, pois em Roma tem paralelepípedos e assim você evita de deslizar pelas ruas. Vou em todos os lugares de tênis, mas coloco sapatos para ir aos museus – é o meu jeito, pois obviamente não tem problema ir de tênis a museus!

Roma em Dezembro 2017, Verduras de inverno

Eu sou a adepta número um das roupas de esqui por baixo: meias grossas e camisetas quentes, naturalmente em modalidade cebola, com várias camadas. Relembro que a sensação climática aqui é às vezes mais intensa do que o número indicado no termômetro, pois a cidade é úmida. Calças de lã ou veludo grosso podem ser uma boa pedida. Camisetas, camisas, coletes de lã e malhas quentes é a clássica série para friorentos como eu. 

Roma em Dezembro 2017

Em Dezembro chove, mas menos do que em Novembro – apesar dos meses têm sido bem atípicos... em todo o caso um casacão impermeável liquida o problema do frio e da chuva e deste jeito, ocupa menos espaço na mala. Viaje leve, sinta-se confortável, você vai ver coisas lindas e é importante que se preocupe com o que vai ver, eventualmente mais do que como vai ser visto – claro, cada um cada um.... Pode ser que seus dedinhos fiquem muito frios tirando fotos: traga luvas para não ter que parar de clicar por causa do frio! Mantenha o calor com um bom cachecol e não se esqueça que um chapéu ou gorro, quase obrigatório quando sopra a “tramontana”, um vento gelado que faz com que você esqueça que está num país mediterrâneo!

Roma em Dezembro 2017, COliseu de noite com frio

O que comer em Roma de diferente em dezembro


Duas coisas que amo voltm para as mesas: alcachofras (mesmo quem não gosta, experimente pois aqui é um pouco diferente do que você está acostumado) e chicoria, uma verdura escura da qual aproveitamos as folhas e tem um sabor levemente amargo. Normalemente é servida “ripassata in padella”, isto é refogada com alho e chili. 
 
Chicoria


Uma variação (bem diferente no gosto e na aparência) são as minhas amadas “puntarelle”, uma variedade da chicoria, servida crú com alho e anchovas.

O que ver em Roma em Dezembro 2017


Roma está com uma mega-exposição do grande Bernini (1598-1680). Se sair de Roma sem saber quem é este artista, é como não ter vindo à Roma! Compre seus ingressos com antecedência e visite a expo na Galleria Borghese! Uma outra mostra importante deste período é Arcimboldo (1527-1593), pintor manierista conhecido por fazer aqueles retratos compostos por frutas e verduras; pro pessoal que gosta de pintura e alquimia. Em dezembro também tem o tadicionalissimo mercadinho de Natal da Piazza Navona e o momento de acender o menorah da Praça Barberini. 

Roma em Dezembro 2017, Mostra Galeria Borghese, Bernini em Roma

Dia 08.12 tem o grande feriado da Ascensão de Maria (Museus Vaticanos estarão fechados) e o papa eleva a tradicional coroa de flores em homenagem à Virgem, ajudado pelo corpo de bombeiros – evento que tende a preencher cada centímetro da praça Mignanelli!

Roma é linda e oferece muito em todos os meses do ano, aí estão os eventos principais de Dezembro 2017!