sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

O Altes Museum em Berlim

"Spinario", cópia em mármore de escultura helenística de garoto sentado tirando espinho da sola do pé

Impressionante a qualidade das peças da coleção de arte romana e etrusca  do Altes Museum de Berlim. Para mim, naturalmente um prato cheio, pois é a minha realidade quotidiana, é o mundo no qual escolhi viver, e repito: é realmente impressionante a coleção deste museu.

Não é por acaso que a inteira Museumsinsel está na lista do Patrimônio Unesco desde 1999. Entrar nesta construção já representa uma experiência única, pois o desenho foi inspirado pela Acrópole, e assim podemos sentir, no mínimo, o poder das dimensões das superfícies e colunas utilizadas naquele tempo; a primeira reação é um enorme respeito pelo ambiente e a alteração da concentração, que sobe ao nível máximo.

Começamos com uma cópia de excelente qualidade do famoso Spinario (garoto que tira um espinho do pé), cujo bronze se encontra nos Museus Capitolinos (Palácio dos Conservadores). A cópia em mármore acredita-se ser da metáde do II século d.C..

Ourivesaria Etrusca

A riqueza dos ouros etruscos também me impressionou muito. Brincos, colares e pulseiras de uma originalidade única, mostram mais uma faceta da habilidade dos etruscos em trabalhar o ouro que nos encanta.

Kouros em mármore

Os Kouroi já são uma raridade em Roma. Para ver estas maravilhosas esculturas gregas em abundância é necessário chegar na Magna Grecia bem ao sul de Roma, isto é, a "Terra Prometida", ou Sicília. Sou louca pelos Kouroi, talvez por eles terem uma intimidade ainda muito grande com o período geométrico, mas ao mesmo tempo representam já claramente a estrada que a representação do corpo humano vai tomar no mundo ocidental.

Prato com Pátroclo e Aquiles, figuras pretas

A quantidade de vasos e kylix em ótimo estado e com representações pouco comuns apresentam-se em abundância neste museu. Não é para morrer na frente desta aqui acima, por exemplo, com Aquiles que faz o curativo a Pátroclo, em uma imagem de 2500 anos de idade? Acredita-se que esta peça venha de Vulci, uma grande cidade da antiga federação etrusca, e que tenha chegado ao museu em 1829, logo após à sua excavação.

Escultura em mármore, arte funerária romana, período imperial

Olha, eu já vi maravilhosos monumentos funerários e amo a arte das catacumbas, onde podemos apreciar a dedicação de uma família a um parente querido, uma homenagem carregada de emoção; esta garota, com corpo de 150 d.C. e cabeça de 200 d.C., toca cordas profundas da nossa alma. 

Mosaico com figura de leão ferido - Mosaico de Palestrina

Este fragmento de mosaico de Palestrina é excepcional; é incrível poder chegar tão perto dele e poder observar os detalhes com o qual as tessere (pastilhas) foram aplicadas, o cuidado com a tridimensionalidade, as sombras e luzes das figuras. Em Palestrina, no Museu Arqueológico, não podemos chegar tão perto. Aproveite!

Famosa "Deusa de Berlim", escultura do IV século a.C.

A chamada "Deusa de Berlim" da primeira metade do VI séc.a.C. é também um raro exemplo de escultura desta dimensão neste estado de conservação. Para os fans do sorriso arcaico e os pigmentos que ainda podem ser bem vistos na superfície do mármore, uma grande emoção. 

Busto de sacerdote de Isis

O culto de Isis foi introduzido em Roma na metade do I séc. a.C.., apesar da resistência da nobreza romana.

Após a famosa batalha de Ázio, o culto se difundiu muito e pelas ruas de Roma circulavam os seus sacerdotes. É incrível poder observar a representação de um sacerdote de Ísis (acima, escultura estimada do final do I séc. d.C.) sobretudo pela famosa história de Domiciano (imperador entre os anos 81 e 96), que escapou do massacre do Capitólio "fantasiado" como um destes sacerdotes.  

Busto de sacerdote de Serápis

O culto a Serápis, ligado ao culto de Isis, também era comum na Roma a partir do I séc. a.C. Os seus altos sacerdotes possuiam a representação de um disco solar com sete pontas na testa. Aqui temos uma representação da primeira metade do III séc. d.C., vinda do Egito.

Urnas etruscas em mármore, ótima qualidade!
  Sarcófagos etruscos 

A coleção de sarcófagos etruscos também é uma bela surpresa para quem conhece bem a Necrópole Etrusca de Cerveteri e seu museu, e o Museu Etrusco de Roma, também pela qualidade das peças.

Maravilhoso torso de Afrodite

O torso de Afrodite Marina do Altes Museum pode causar uma parada cardíaca. A indicação do museu diz que esta peça, encontrada em Florença na metade do século XIX, foi realizada no I séc. d.C..

Aos poucos vamos completando o nosso quebra-cabeça destas ricas civilizações que são o nosso berço.

Nessa minha estadia tive a chance de conhecer a Nicole Plauto e o Pacelli Luckwu, da Agenda Berlim http://www.agendaberlim.com/ e com certeza para quem estiver indo para lá vale à pena ter uma assessoria destes dois para entender melhor a cidade. 

Para fazer um tour na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.

Altes Museum em Berlim
Site: http://www.smb.museum/museen-und-einrichtungen/altes-museum/home.html
Fechado às segundas, aberto das 10h às 18h (quintas-feiras até as 20h). Mas venha com tempo...

domingo, 21 de fevereiro de 2016

A arte das Catacumbas

Antes de inciar de falar de uma das maiores preciosidades que o viajante encontra em Roma, a construção das primeiras igrejas cristãs, gostaria de fazer mais uma observação a respeito da arte encontrada nas catacumbas, assunto que já foi tratado em alguns outros posts. 

 A âncora, em lastra sepulcral

A partir do II século surgiram na península italiana e no norte da África, em terrenos muitas vezes cedidos à jovem comunidade cristã por famílias abastadas, os primeiros cimitérios cristãos. Estas estruturas foram realizadas com pouco planejamento arquitetônico e, praticamente, as condições do terreno em que se cavava os longos corredores e loculi (cavidades onde se depositavam os defuntos) eram o único fator determinante para a sua reliazação. A soma de todos os longos corredores das catacumbas em Roma é calculada em aproximadamente 100km.

O peixe, lastra sepulcral de catacumba

 Mapa dos corredores de catacumbas nos arredores da Via Appia

Nestes corredores, as paredes das catacumbas são cheias de loculi, que eram sigilados com uma lastra de pedra ou de cerâmica, decoradas com inscrições e desenhos rudimentares sobre uma fina camada de reboco. E é essas iconografia que eu adoro e acho o máximo que você tenha a oportunidade de ver, numa viagem à Roma.

 O "orador", iconografia também muito comum das catacumbas

O cristianismo encontra um terreno fértil na civilização romana, que tinha atingido o ápice da sua habilidade e narrativa na escultura e na pintura em esculturas como o Laooconte, como o arco de Settimio Severo, representações em sarcófagos, obras como a coluna de Traiano ou os afrescos da Casa de Lívia e é nesse contexto que a nova religião vai desenvolver as suas características, junto com a herança da cultura hebraica. Olha só que interessante e que momento explosivo na História da Arte o encontro frontal da cultura judaica com a cultura pagã!

Cristo entre os doze apóstolos, afresco em catacumba

Os primeiros símbolos utilizados serão a âncora e o peixe "ICHTYS", "Jesus Cristo Filho do Deus Salvador", do grego Ἰχθύς, Iesùs CHristòs THeù HYiòs Sotèr; a simbologia de algumas corporações e alguns mitos pagãos serão “adaptados” às histórias do evangelho e servirão de ponte para esta nova arte e aos poucos serão introduzidas histórias do Antigo e do Novo Testamento
Todos as representações destes temas têm como pano de fundo a salvação e ressureição da alma.

Afresco nas catacumbas e grupo caminhando nos corredores.

Fiel ou não, éssa é uma das mais fascinantes viagens da sua viagem à Roma!

Para o seu roteiro personalizado na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Basílica de Santa Prassede

Dedico este post à Fátima e Socorro.

Perto da Basílica de Santa Maria Maior, escondidinha numa rua sem movimento e atrás de uma discretíssima fachada, encontramos a entrada lateral para a basílica de Santa Prassede.

Igreja de Roma Santa Prassede
Nave central da Basílica de Santa Prassede

Os textos da igreja que narram a vida dos mártires afirmam que a santa viveu entre os século I e II e era filha de um importante senador, Prudente. A lenda nos diz que Pudente e seus filhos (Prassede, Pudenciana, Novato e Timóteo)  foram convertidos por São Paulo e que Prassede recolhia o sangue dos mártires com uma esponja.

A família inteira foi martirizada durante as perseguições do imperador Antonino Pio e enterrada nas Catacumbas de Priscila.

Esta é uma igreja para quem tem interesse em mosaicos, ou está se apaixonando por essa maravilhosa técnica utilizada na Roma medieval; para quem deseja ver o tipo de arte realizada no período conhecido como renascença carolíngea (termo obviamente inventado por um francês, Jean-Jacques Ampère, no final da primeira metade do século XIX).

Do ponto de vista dos fiéis, trata-se de uma igreja importante de Roma, pois diz-se que esta teria sido construída sobre o titulus praxedis (casas onde aconteciam as reuniões dos cristãos) , que segundo a tradição era a filha do senador Prudente, um pagão convertido pelo apóstolo Paulo mencionado em uma das suas cartas,  2 Timoteo, 4 21. Roma é história viva da igreja.

Igreja de Roma Santa Prassede, arco triunfal
Os arcos e o cibório com a quantidade imensa de mosaicos maravilhosos!

Em torno ao ano de 780, o papa Adriano I mandou resturuturar a igreja e o papa Pasqual I, no primeiro ano do seu pontificado, mandou fazer uma segunda alteração na cripta da igreja para que recebesse as relíquias dos santos mártires.

Igreja de Roma Santa Prassede, sarcófago romano
Sarcófago estrigilado com as relíquias 
das santas Prassede e Prudenciana na cripta

A parte da decoração mais impressionante desta basílica são os mosaicos de mãos espertas bizantinas, do IX século.

O arco triunfal tem a representação do Cristo com os apóstolos, Moisés, Elias, os anjos e os eleitos.

Igreja de Roma Santa Prassede
Arco triunfal, detalhe, Basílica de Santa Prassede

O arco absidal tem os símbolos dos evangelistas, o Agnus Dei, os sete candelabros e os cavalheiros do Apocalipse.

Igreja de Roma Santa Prassede, arco triunfal e baldaquino
Arco absidal da Basílica de Santa Prassede

No catino da ábside, temos Cristo com os santos Pedro, Pudenciana, Diacono, Paulo, Prassede e o papa Paqual I. Na parte superior deste grupo, a mão de Deus oferece a coroa da vitória a seu filho.

Espetacular a Capela de São Zenão que Pasqual I mandou contruir para sua mãe, Teodora. Veja o mosaico que representa Teodora com as santas e a Virgem.

Igreja de Roma Santa Prassede, capela de São Zeno
Mosaico da Capela de São Zenão com Teodora, 
e a Virgem Maria entre as Santas Prassede e Pudenciana

O teto desta capela é maravilhoso com o Cristo dentro do círculo, apoiado a quatro anjos:

Igreja de Roma Santa Prassede, capela de São Zeno
Teto da Capela de São Zenão

Essa basílica é famosa por conter as relíquias de dois mil e quinhentos mártires.

Aqui também temos um retrato feito por Bernini, com apenas 17 anos, no monumento fúnebre de Giovan Battista Santoni.

Para o seu roteiro personalizado na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.