segunda-feira, 16 de março de 2015

Ano Santo Extraordinário

Família visitando o Papa
A deliciosa família Galvão encontra o Papa em 2014

No seu primeiro discurso, assim que foi eleito, o papa Francisco afirmou que “vinha de longe”e que tinha chegado para evangelizar. Palavras fortes e surpreendentes que sucitaram imediatamente muitas dúvidas. A primeira delas: como? Como pode uma Igreja que há muito tempo está perdendo fiéis para outras crenças, que parece não acompanhar os tempos, evangelizar uma sociedade? Uma igreja com sérios problemas de clericalismo e de corrupção?

E aí, quinze anos depois do Jubileu e dez anos antes do próximo, papa Francisco anuncia um Ano Santo extraordinário que traz consigo a palavra-chave “misericórdia”, porque “ninguém pode ser excluído da misericórdia de Deus; todo mundo sabe como atingi-la e a igreja é a Casa que recebe todos e não recusa a presença de ninguém. As suas portas estão abertas e quem se sentir tocado pela graça possa encontrar a certeza do perdão. Quanto maior o pecado, maior será o amor que a Igreja demonstrará a quem se converter.” - palavras do papa Francisco, inspirado por uma frase do evangelho de São Lucas: “Sejam misericordiosos como o Pai”. Uma ideia genial?

Cúpola de Michelangelo da Basílica de São Pedro
A maravilhosa cúpola de Michelangelo

Então, o início do próximo ano santo extraordinário será dia 08 de Dezembro de 2015, com a abertura das Portas Santas das Basílicas, que ficam muradas durante o período de 25 anos. O significado da abertura destas portas é ligado à oportunidade de salvação para os fiéis que as atravessarem. 

O final do jubileu será dia dia 20 de Novembro de 2016.

O ano santo é, para os católicos, um ano dedicado a Cristo. É um ano de remissão dos pecados, um ano de conversão e de penitência e que tem sua origem em tradições hebraicas: dívidas eram canceladas e famílias que tinham perdido propriedades ou tinham se tornado escravas, obtinham de novo a liberdade. 

Nave central da basílica de São Pedro
Atmosfera mágica no interior da basílica de São Pedro

Por curiosidade, o primeiro Ano Santo foi anunciado pelo Papa Bonifácio VIII, e diz a tradição que o pequeno afresco de Giotto na nave da direita da Catedral de São João em Latrão ilustra este fato.

O último jubileu extraordinário tinha sido anunciado pelo Papa João Paulo II em 1983, em comemoração da redenção de Cristo, pelos 1950 anos da ressurreição de Jesus.

Um ano de indulgência plena significa peregrinação às basílicas patriarcais de Roma para atravessar as portas santas de cada uma: São Pedro, São João em Latrão, Santa Maria Maior e São Paulo Fora dos Muros.

A cruz do papa Francisco
O crucifixo de papa Francisco

Dizem que depois do anúncio do ano santo, papa Francisco se ajoelhou e confessou seus pecados.

De brasileiros para brasileiros na Itália: reserve aqui a sua guia de turismo que fala português.

Nenhum comentário:

Postar um comentário